5 maneiras de se proteger contra fraudes online durante as festas de final de ano

Foto: Reprodução


O ano de 2020 foi atípico e estressante para todos. Por conta das medidas de isolamento social, necessárias no contexto da pandemia, os consumidores aumentaram de forma considerável suas compras online. Atentos a esse movimento, fraudadores desenvolveram novas táticas para aplicar ainda mais golpes. 

Dados da Fortinet Threat Intelligence Insider Latin America, ferramenta que coleta e analisa incidentes de segurança cibernética em todo o mundo, apontam que no Brasil já ocorreram mais de 2,6 bilhões de ataques cibernéticos de janeiro a junho. Por sua vez, o Senado recentemente aprovou um projeto de lei que aumenta a punição para quem comete fraudes por meios eletrônicos – o texto prevê pena de três a seis anos de reclusão. 

Fabrício Ikeda, diretor de Prevenção a Fraudes da FICO para a América Latina, preparou cinco dicas práticas para ajudar os consumidores a se protegerem de fraudes online nesse período de final de ano, quando as pessoas costumam relaxar e são ainda mais visadas pelos criminosos.


Mude seus hábitos de criação de senha 

Todos estamos familiarizados com o conceito de criação de senhas fortes que combinam letras minúsculas, maiúsculas, números e símbolos. Porém, senhas longas são ainda mais importantes do que senhas fortes. Uma senha longa e forte é o que mais impedirá um hacker durante um ataque. 

Também é importante usar uma senha única para cada conta, não apenas em contas bancárias, mas também quando utilizar PayPal, Gmail, Amazon, entre outros. Vale destacar a eficiência dos gerenciadores de senhas dos navegadores, que sugerem senhas longas e fortes e ajudam o usuário a se lembrar de todas. 

Aproveite os recursos de autenticação 

Recomendo o uso dos recursos de autenticação adicionais oferecidos pelos aplicativos e sites que você visita com mais frequência, pois eles oferecem uma segunda camada de proteção para garantir que é realmente você. O tipo mais simples é o código de verificação única, que é enviado por mensagem de texto ou e-mail. 

O reconhecimento facial também se tornou muito popular, principalmente em aplicações bancárias e financeiras. Se o aplicativo tiver recurso de reconhecimento facial (como ID de rosto em iPhones), use-o. A autenticação por reconhecimento facial e voz é parte cada vez mais importante de uma estratégia abrangente para aumentar a segurança da conta. 

Use métodos de pagamento confiáveis 

Os novos aplicativos de pagamento são incríveis, mas tenha muito cuidado. Faça uma pesquisa e leia os comentários para ter certeza de que o aplicativo não é uma farsa. Em caso de dúvida, use o PayPal ou qualquer outro aplicativo de pagamento que você conheça e confie. 

Seja cético 

Durante uma pandemia, assim como em todo momento de dificuldade, as pessoas tendem a ficar mais solidárias e fazer mais doações, o que infelizmente multiplica as oportunidades para criminosos. Porém, nem todos os golpes são identificados ou relatados, a menos que a pessoa ou a instituição que se beneficiará seja conhecida, e as informações verificadas. 

Verifique seu relatório de crédito 

Todos precisam revisar seus relatórios de crédito, não apenas para se manter informados sobre seu histórico de crédito, mas também para detectar antecipadamente qualquer atividade fraudulenta, como roubo de identidade. 

A revisão regular ajudará você a saber se algo estranho ou inesperado está acontecendo. Cortar o roubo de identidade ou o uso indevido de crédito pela raiz pode evitar a perda de grandes quantias de dinheiro, bem como a necessidade de reconstruir seu histórico de crédito. 

Fonte: Voz da Bahia

Postar um comentário

0 Comentários