ONG de proteção de animais de Cruz das Almas pode fechar por falta de recursos

Foto: Divulgação


A Associação para proteção de animais de Cruz das Almas (APACA), informou nesta sexta-feira (29), através das redes sociais, que pode encerrar suas atividades por falta de recursos. Segundo o comunicado, cerca de 45 cães serão transferidos para Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.

A associação informa que não há possibilidade de continuar alimentando os animais e prestar assistência veterinária aos mesmos. 

Confira na íntegra o comunicado:

No próximo dia 09 de fevereiro completam quatro anos da posse da atual diretoria da APACA.

Foram quatro anos de lutas e sacrifícios durante os quais mantivemos a Associação praticamente sozinhos, sem ajuda do poder público e com poucas e irregulares ajudas de particulares que devido à pandemia, praticamente encerraram.

Ao longo desses anos, salvamos a vida de dezenas de animais, encaminhamos quase setenta animais para adoção responsável e abrigamos mais de CEM animais em nossa casa.  Sim, nossa casa, pois a APACA não tem sede própria.

Neste quatro anos lutamos muito para tentar que o poder público municipal assumisse o seu papel na defesa e bem estar animal e cumprisse velhas promessas.  Entre elas, a construção de um canil adequado para abrigar os animais em situação de risco, para serem tratados, castrados e identificados, para posterior destinação através de adoções responsáveis ou na implementação do projeto do "cão comunitário".

Nossa luta foi reconhecida, por unanimidade dos vereadores da gestão passada, que nos conferiu o título Utilidade Pública Municipal, através da LEI 2704, de 24 de janeiro de 2020, e, também por unanimidade, autorizou o repasse de verbas mensais, a vigorar entre 01/01/2020 a 31/12/2020, para custear as despesas de várias entidades, entre elas a APACA, através da Lei 2714, de 25 de março de 2020.

Ambas as leis foram sancionadas pelo chefe do executivo na época.

Porém, em relação ao repasse de verbas, de que trata a Lei 2714, a APACA não recebeu um único centavo.  A título de "compensação", a gestão anterior fornecia PARTE da ração necessária e assinou um contrato de prestação de serviços com a Associação nos últimos DOIS meses de 2020, onde o repasse de verbas foi pouco mais da metade do que estava previsto na Lei 2714.

Com a verba recebida, a APACA castrou vários animais, inclusive de protetores independentes, comprou medicamentos e saldou parte das dívidas que tinha com fornecedores de rações, clínicas veterinárias, entre outras.

Estávamos também em negociações com uma clínica veterinária para tratar de animais com TVT, SEM CUSTOS, para protetores independentes ou tutores carentes.

Mas, atualmente, a APACA não dispõe de recursos nem para continuar alimentando os animais sob nossa tutela, que dirá para realizar tratamento de doenças e castrações.

Devido a isso, esta Associação se vê obrigada a transferir para a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente QUARENTA E CINCO cães, para que os mesmos não morram de fome.  Sob a tutela da APACA ficarão apenas os animais debilitados pela idade avançada ou deficientes, que não têm condições de sobreviver sem uma assistência adequada, além de SESSENTA E TRÊS gatos, já que a prefeitura não cuida de felinos.

Para estes animais que permanecerão, pedimos ajuda para compra de rações.

Esperamos que o atual governo restabeleça o mais breve possível a parceria com a Associação, caso contrário a APACA encerrará suas atividades.


Em contato com o site Portal Cruzalmense, o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Leone Carvalho, comentou sobre a situação no intuito de ajudar a ONG:

"Estamos aguardando uma compra emergencial e ao findar a licitação ajudaremos estes protetores", disse.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. "Estamos aguardando uma compra emergencial e ao findar a licitação ajudaremos estes protetores", disse o secretário.
    E enquanto isso, os animais comem "promessas"?

    ResponderExcluir