About Me

 http://escolas.educacao.ba.gov.br/noticias/ensino-medio-da-rede-estadual-inicia-aulas-semipresenciais-na-proxima-segunda-feira-267-e-o/

Embrapa Mandioca e Fruticultura comemora 46 anos em evento virtual

Foto: Arquivo/Portal Cruzalmense

Nesta quinta (10), às 14h, a Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, BA) vai comemorar seus 46 anos de existência numa cerimônia transmitida pelo YouTube e Facebook. O evento vai ser conduzido pelo chefe-geral Alberto Duarte Vilarinhos e vai ter a participação de Adriana Regina Martin, diretora-executiva de Inovação e Tecnologia da Embrapa.

Única Unidade da Embrapa na Bahia, a Embrapa Mandioca e Fruticultura trabalha de forma transversal para atender às novas demandas da sociedade, estabelecendo novos sistemas de produção, como a produção orgânica, o desenvolvimento de sistemas agroflorestais, a ampliação dessa visão para a agroecologia e o estabelecimento de trabalhos para definir o balanço de carbono.

Presença digital

Diante dos desafios e da sua missão bastante abrangente, a Unidade tem investido na ampliação e melhor qualificação das parcerias institucionais, nacionais e internacionais, inclusive com a implantação e o fortalecimento de campos avançados em regiões estratégicas do País. A prospecção contínua de demandas tecnológicas e escolha de prioridades, a validação de resultados e sua conversão em inovações e a avaliação da adoção e dos impactos das tecnologias têm recebido atenção especial.

Nos últimos três anos, investiu na área conhecida como agricultura digital, digital farming ou agricultura 4.0, desenvolvendo, em parceria com a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), três aplicativos gratuitos para produtores e técnicos: o Sistema de Recomendação de Calagem e Adubação (AdubaTec), o Guia de Identificação e Controle de Pragas do Maracujazeiro (AgroPragas Maracujá) e o Sistema Integrado de Monitoramento de Pragas (SimpMamão).

Em 2020, a partir da pandemia da covid-19, a Embrapa Mandioca e Fruticultura reinventou-se e ampliou significativamente a sua presença nas redes sociais, promovendo 28 webinars – a maioria pelo YouTube e Facebook –, ingressando no mundo dos podcasts, no LinkedIn e, mais recentemente, no Instagram.

História

A Embrapa Mandioca e Fruticultura surgiu a partir do Instituto Agronômico do Leste (IAL), construído na década de 1950, posteriormente Instituto de Pesquisa e Experimentação Agropecuária do Leste (Ipeal), vinculado ao governo federal, cuja missão era desenvolver tecnologias para a agricultura regional. Destacava-se, na época, o trabalho com a citricultura.

A atual unidade de pesquisa foi instituída oficialmente em 13 de junho de 1975 com o objetivo de executar e coordenar pesquisas para o aumento da produção e da produtividade, a melhoria da qualidade dos produtos, a redução dos custos de produção e a viabilização do aproveitamento de áreas subutilizadas para mandioca e fruteiras tropicais. Passou, assim, a ter uma missão focada em culturas (atualmente mandioca, citros, abacaxi, banana, mamão e maracujá) e com abrangência nacional.
Ocupa uma área de 260 hectares no município de Cruz das Almas (Recôncavo da Bahia) e dispõe de moderna infraestrutura que inclui 16 laboratórios, casas de vegetação, estufas, telados, biblioteca, centro de treinamento de mandioca e campos experimentais com nove coleções de espécies e variedades de mandioca e fruteiras, compostas por mais de quatro mil acessos. Conta com 183 empregados, sendo 65 pesquisadores. Na área de suporte à pesquisa, são 45 analistas, com formação universitária, alguns com pós-graduação, 30 técnicos e 43 assistentes em laboratórios, campo experimental e setores administrativos.

 Fonte: Embrapa

Postar um comentário

0 Comentários