About Me

 http://escolas.educacao.ba.gov.br/noticias/ensino-medio-da-rede-estadual-inicia-aulas-semipresenciais-na-proxima-segunda-feira-267-e-o/

SAJ: Músicos contestam medidas restritivas do Governo do Estado

Foto: Felipe Pereira/ Clube - FM 92.7


A classe artística de Santo Antônio de Jesus lançou uma mobilização em prol da categoria, que está com as atividades paralisadas desde março em decorrência da pandemia da Covid-19. Fazem parte do movimento músicos, cantores, produtores de eventos e donos de estabelecimentos de entretenimento.

Em entrevista ao programa Falando Alto da Clube FM, nesta segunda (07), os músicos Rony Lima, Mara Ribeiro, DJ Andersinho e DJ Ferrari mostraram-se contrários as medidas restritivas impostas pelo governo estadual, que proibiu a realização de festas e shows, independentemente, do número de participantes.

Para o DJ Ferrari, a classe foi uma das mais afetadas pela pandemia da Covid-19. “Muitos colegas trabalham a noite para comprar o alimento no dia seguinte, são famílias que muita das vezes dependem exclusivamente da renda desses profissionais”, disse.

DJ Andersinho lembrou a cadeia econômica que depende da classe musical. “Muitas pessoas dependem da música para viver, o vendedor de ingressos, a garçonete, o pessoal do som, da iluminação, infelizmente algumas pessoas não fazem ideia da quantidade de recursos que injetamos na economia”, pontuou.

A cantora Mara Ribeiro ressaltou que a classe foi uma das primeiras a parar e deve ser a última a voltar. “Tive a Covid-19 e sei perfeitamente da sua letalidade, fomos os primeiros a parar e seremos os últimos a voltar, mas voltar quando? Pensávamos que agora voltaríamos a ganhar o nosso pão de forma digna, aí o nosso governador vai lá e decreta que não pode ter aglomerações, uma verdadeira contradição, porque tudo está funcionando normalmente, o comércio, os shoppings, as igrejas, academias, bares, enfim, tudo, menos a classe musical que segue sem trabalhar e com as coisas bem complicadas” disse.

Já o artista Rony Lima lembrou das aglomerações no período eleitoral. “É óbvio que o governador sabia das manifestações políticas que estavam acontecendo no interior do estado e nada foi feito, porque ele não lançou esse decreto antes?”, indagou.

Matéria: Felipe Pereira/ Clube FM – 92 .7

Postar um comentário

0 Comentários