About Me

http://www.bahia.ba.gov.br/

Sesab confirma 18 casos de doença que deixa ‘urina preta’ na Bahia este ano

Foto: Infográfico G1

Dezoito casos da doença de Haff, também conhecida como “doença da urina preta”, foram registrados até esta terça-feira (26), na Bahia, segundo informações da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Os dados são contabilizados desde início deste ano.

Conforme a Sesab, as notificações foram feitas nos municípios de Alagoinhas (5), Salvador (13), Maraú (1), Mata de São João (1), Simões Filho (1) e São Francisco do Conde (1).

A doença de Haff se caracteriza por ocorrência de extrema dor e rigidez muscular, dor torácica, além de falta de ar, dormência e perda de força em todo o corpo, podendo causar falência renal. Pessoas com a doença apresentam urina na cor de café, causada pela elevação da enzima CPK, associada à ingestão de pescados.

De acordo com a Sesab, os 18 casos confirmados entre janeiro e outubro deste ano, são de pacientes de 20 a 79 anos. A faixa etária com mais número de casos é de 35 a 49 anos com sete registros (38,9%), seguida da faixa etária de 20 a 34 anos, com cinco casos (27,8%), e de 50 a 64 anos (22,2%). Entre os casos confirmados 66,7% foram do sexo masculino.

Entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017 foram notificados 71 casos de doença de Haff nos municípios de Salvador, Vera Cruz, Dias D’Ávila, Camaçari, Feira de Santana e Alcobaça. Foram registrados dois óbitos, sendo um de residente de Salvador e outro residente de Vera Cruz, ambos com comorbidades.

Já em 2018 e 2019, conforme o órgão de saúde, não houve notificações da doença relatados pelas instituições de saúde.

No ano de 2020, a partir do mês de agosto surgiram casos da doença de Haff nos municípios de Salvador, Feira de Santana, Camaçari, Entre Rios, Dias D’Ávila e Candiba, totalizando 45 casos notificados. Destes, 40 foram confirmados e cinco foram descartados, sem registro de óbitos.

A Sesab recomenda que ao sentir dores musculares e apresentar urina escura após o consumo de peixes ou crustáceos, as pessoas procurem imediatamente uma unidade de saúde.

Fonte: G1

Postar um comentário

0 Comentários